terça-feira, 8 de setembro de 2009

Espelho, espelho meu...

Não é fácil gostar de si mesmo. Você sempre será mais gorda ou mais magra do que aquela pessoa perfeita. Mais alta ou mais baixa do que a altura que sempre quis ter. Quando adolescente, invariavelmente teve mais espinhas que o necessário. Sua pele nunca será igual a um pêssego, e seu humor, convenhamos, nem sempre está lá muito bom. A gente nunca está completamente satisfeito com o que é, e isso não é ruim. Se não fosse por isso, não haveria essa busca constante do ser humano por ser sempre melhor, e mundo não estaria tão cheio de inovações.

Ainda que imperfeitos, temos que aprender a conviver com esses pequenos detalhes não muito legais, mas que, como um todo, completam a gente e nos dão toda uma harmonia. Senão, viramos uns chatos de galocha e perdemos muita coisa bonita que passa pela nossa frente, só por causa dessas nossas lentes acinzentadas de ver o mundo. Momentos prá te puxar prá baixo não vão faltar, mas as lentes coloridas estão lá prá esses momentos.

[pauta para o site: como vocês lidam com o amor próprio?]

Um comentário:

laune disse...

a convivÊncia diária com o si próprio pode ser mais dificil do que todos pensam. mais dificil que viver com o próprio marido chato. Nem sempre nos entendemos, nem sempre nos gostamos, a única saída é se acostumar do jeito que somos. passa lá no meu bloog :** http://laune.wordpress.com/