domingo, 31 de agosto de 2008

O tempo passa. Mesmo quando isso parece impossível. Mesmo
quando cada tique do relógio faz sua cabeça doer como se fosse um
fluxo de sangue passando por uma ferida.
Ele passa desigual, em estranhos solavancos e levando a calmaria
embora, mas ele passa. Mesmo pra mim.
Terminei Lua Nova hoje de manhãzinha. Levei pouco mais que um dia para ler o livro. No computador. Meu Deus, óculos em breve. Estou simplesemnte total e completamente fascinada por essa história. Quem não está gostando muito disso é o fichamente que tem que estar pronto até amanhã. ;)

Um comentário:

Brunín...® disse...

Ótimo... eu também fiquei lendo hoje e até agora (21:22) nada de fichamento!!