quinta-feira, 14 de agosto de 2008

inexplicavelmente feliz.

Não estava gostando muito do número de posts digamos, objetivos, do meu blog. Impessoais demais para mim, saca? Gosto dos posts subjetivos, das confissões, declarações disfarçadas. O que é óbvio, fácil de se entender, racional, tem muito menos graça. Gera menos curiosidade. E curiosidade é vital. Nada mais chato do que saber exatamente de tudo o que acontece e acontecerá. Bom mesmo é o friozinho na barriga, a incerteza, aquele medinho de tudo dar errado.
No fim, de fato, tudo dará errado. Mas os momentos de espera e os em que tudo está indo bem, esses são impagáveis. Como mensurar uma quantia que valha a felicidade de ver aquela janelinha subindo? Aquela silhueta se aproximando, sabe-se lá por qual motivo? Descer cada linha para saber o finalzinho daquele livro maravilhoso? Mal piscar para não perder nenhuma fração de segundo do filme que te emociona profundamente? Nada. Nada se compara. Ok, me desviei um pouco do foco inicial, mas, oi, é assim que eu funciono.

Voltando, as coisas para mim vão indo bem, obrigada. Não as mil maravilhas, mas não tenho muito do que reclamar, e nem quero fazê-lo. Fica tudo tão mais simples quando se esquece o que desagrada, lembrando-se apenas do que vale à pena. Minha câmera chegou - finalmente! Ok, sou uma mera aprendiz de fotografia incompetente, mas me divirto. Muito mesmo. Minhas aulas estão ótimas e prometem continuar assim, salvo algumas exceções, claaro! Ultimamente falei com pessoas importantes para mim, muito importantes, com quem não falava há muito tempo. Chorar lendo um simples e-mail, não é qualquer um que consegue provocar isso. Mas, ainda assim, tô vivendo e deixando viver. Prá que se preocupar tanto?

Na verdade, eu sou uma montanha-russa emocional. Numa hora estou dando pulos de alegria, literalmente, e no outro eu começo a viajar autistamente. É bom, sorrir o tempo todo é algo meio forçado. Gosto de pessoas com humor meio variante. A velha questão do não saber o que se esperar. Surpresa. Tudo acaba voltando prá isso. A-d-o-r-o, fazer o quê?

Photobucket/ouvindo: teatro mágico - sonho.

5 comentários:

valu disse...

ahhh seu humor é variante msm... o meu tb é eu acho... sei la... mas o 1207 é sempre o msm... hahahaha...
aqui... escreve mais!

Brunín...® disse...

na verdade não valu...

O 1207 pode ser o A, o B ou o C...
(como eu não sei da piada interna do 12, eu tinha que pelo menos tentar bicar a conversa!!)

Lott disse...

ah, deixou curioso!
hahahahaha

mas concordo com voce que aquele segundo que precede os momentos de incerteza é q nem se fosse uma pílula de felicidade instantanea!

É uma coisa assim... AAAAAAAH!


asuhsauhsauhsauhuhsahsa

viajei... ¬¬

Bjão ANNNNNNNNA

anna carolina disse...

jhghgfdytdhkgfhtf
acho que nem rolou uma interna não, gente.
se rolou, não entendi. Oo

nem viajou, LoPI.
é tipo ahhhhhh mesmo
jhdjfhsjhksagda

;*

Pedro, o Nogueira disse...

Conseguiu, viu, Calourinha. Me identifiquei muito. E seu blog é aquele dos poucos que eu sempre fico curioso, sempre sei que, por trás dessas frases, tem coisas que eu não posso ver completamente.

Vai saber... =D